Home

Cidade noite

Era de noite, o relógio apontava 3 horas e 30 minutos e a humidade começava a cair. Era das poucas coisas que sabia, para além de saber que o que acabo de escrever é completamente irrelevante, mas ainda assim a hora tem de ser precisa, não quero estar maçar o leitor com preciosismos, porque afinal de contas o meu relógio apontava para 3h28m, mas o meu telemóvel mostrava 3h31m e nunca iremos saber qual deles estaria correcto segundo o tempo universal coordenado do fuso horário de Lisboa que é curiosamente o mesmo de Londres. As coisas que eu sei. Enfim, com isto já eram 4 da manhã.

Estava perdido não só em tempo mas em espaço, o que é na sua definição, saber que não se sabe onde se está. Já é saber algo, mas quem me dera não saber nada. Até porque no não saber nada inclui-se o «não saber que não se sabe nada» e isso é coisinha para fazer mais pela felicidade de uma pessoa do que 30 paletes de Prozac.

Estava perdido. Andei tanto tempo perdido que desisti de me procurar e só me voltei a encontrar quando já procurava outra pessoa.

Como acontece com as coisas, também eu desisti de me procurar e tentava agora encontrar alguém melhor. Com menos defeitos e mais qualidades como todos nós queremos ser. Sempre que perco as chaves de casa só as consigo encontrar quando já estou á procura de outra coisa e demasiadas vezes na busca de iogurtes acabo por as encontrar. Se calhar tenho de parar de as guardar no frigorífico.

Não existe maior perda de tempo do que procurar quem somos, isso, só o iremos descobrir quando já procurarmos outra pessoa. Tal como acontece com os objectos.

Já dizia Conan O’brien: «é na nossa tentativa falhada de queremos ser outras pessoas que no final essa busca nos define no que realmente somos». Por isso digo: se te queres encontrar procura outra pessoa.

Pelos meus olhos não me consigo definir, mas sei bem que são as pessoas que me motivam, talvez um dia ao tentar segui-las o confronto de ideias definir-me-á.

Creio que também é essa a principal razão pela qual a primeira relação raramente funciona, não pela outra pessoa mas por nós próprios que até à data ainda não nos conhecíamos tão bem como pensávamos e ao viver, ter sexo ou relacionarmos com outra pessoa percebemos quem realmente somos.

Nasci a 3 de Outubro de 1989. Demorei toda a minha vida para saber o que sei hoje e ainda assim não sei grande coisa.

Testemunhos Reais

Bruno Ferreira, 21 anos, Portimão – Grande texto Filipe! Eu estava à procura da Pamela Anderson numa praia e acabei por me encontrar sozinho no meu quarto a tocar-me. Muito obrigado Filipe! Os teus textos são realmente uma maravilha! E agora vou-me continuar a tocar só mais um bocadinho.

Ana Rita, 24 anos, Lisboa – Olá Filipe, antes de mais, quero-te dizer que gosto muito dos teus textos, escreves muito bem e aposto que és lindo como as palavras que escreves. Mas tenho uma dúvida, será que sempre que procuramos outra pessoa nos vamos encontrar a nós mesmos? É que eu queria mesmo encontrar outra pessoa, ou achas que nos vamos encontrar na outra pessoa, como se o que gostamos nela é um reflexo de nós próprios? Ai Filipe és tão profundo!

P.S: podes-me enviar uma foto tua? Jokas Fofas.

Arménio Silva, 54 anos, Covilhã – Bem antes de mais devo dizer que isto foi uma perda de tempo ter vindo aqui ler este texto, és um anormal, não sabes o que escreves. Isto porquê? Porque não é nada assim, na semana passada eu andava á procura de 3 ciganos que me roubaram a carrinha e acabei por me encontrar a ser sodomizado por 4 ucranianos que me semana anterior me tinham roubado a moto. E não me encontrei sozinho, encontrei mas foi os 4 ucranianos a sodomizarem-me agora mesmo enquanto escrevo no meu smartphone. E o que se passa é o seguinte eu quero encontrar a carrinha e agora estou a ser sodomizado. De maneiras que este texto é uma palhaçada. Já agora se sabes tanto, para onde é que eu tenho de ir ser sodomizado para encontrar a carrinha?

Anúncios

6 thoughts on “Se te queres encontrar procura outra pessoa.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s