Home

Pudesse eu dar-vos três concelhos para a vida e apenas diria: estudem, não se metam nas drogas e desconfiem sempre de uma «vaca que ri». Especialmente se estiver envolvida na produção de lacticínios derivados de leite coalhado.

Uma das coisas que mais me fazia confusão enquanto apreciador de queijo era o facto de não saber se o queijo que consumia provinha de uma vaca contente, divertida ou depressiva. Mas graças ao queijo da «vaca que ri» fico mais descansado.

Só um consumidor insensível não se importará com o estado de espírito da vaca que produziu o seu queijo. Tenho pena que outras marcas não sigam este magnífico exemplo. Imaginem que bom seria começar o dia com «queijo da cabra contente», aconchegar o estômago com «ovos das galinhas que sorriem», comer uma sandes de «fiambre da perna extra do porco radiante», tudo enquanto nos agasalhamos com uma camisola de «lã das ovelhas divertidas».

«La vache qui rit» é de origem francesa e jamais poderia ser ideia de portugueses. Para um português não há nada pior do que alguém se rir sem sabermos a razão. Temos logo de indagar «Tás-te a rir do quê pá?». Que pode ou não ser seguido de uma ameaça que envolve deixar os dentinhos no chão. É por isso estranho ainda não ter visto ninguém no supermercado a dar lapadas no queijo da vaca que ri.

«Olha-me esta vaca está se rir! Mas tás-te a rir do quê pá? TOMA! É pra aprenderes! Ri-te lá agora! Ah agora já não tem graça! Já não te queres rir? Pois, agora choras! Vaca do carago!»

Mas a pergunta é: porque é que a vaca se ri? Será o riso reflexo da sua insanidade? Estamos a pagar demasiado pelo queijo? Ou, apenas se ri porque lhe espremem a tetas? Será que «a vaca que ri» também proporciona alegrias ao consumidor? Privilegiando assim a relação entre ser Humano e ser Vaca. Não há que ser condescendente o consumidor tem o direito em conhecer minimamente a vaca que lhe fornece o queijo.

Serão as vacas do Stilton ou do Gruyère tão felizes como a que ri? E as do Terra Nostra e do Castelões tão sociáveis como a que ri? Será a vaca do queijo Mimosa depressiva? São questões que os consumidores de queijo querem ver respondidas. Para estes consumidores não basta a qualidade do queijo é necessário avaliar também a qualidade da vaca.

Avaliando-se o queijo e a vaca numa escala de 0 a 5. Se o que queijo é muito bom mas a vaca é triste terá um total de 5 valores. 4 pelo queijo e 1 pela vaca. Já se o queijo é mais ou menos e a vaca se ri muito tem uma pontuação de 8. 3 pelo queijo e 5 pela vaca.

Pontuações à parte, a maior proeza da «vaca que ri» é ter nascido em 1921, significa que tem hoje 91 anos e deve ser a única vaca desta idade que ainda não ficou resmungona. Além do mais o queijo é bem saboroso! Bem-haja!

Anúncios

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s