Home

Antes de mais, devo dizer que não sou nenhum entendido em vexilologia, mas no que diz respeito à bandeira nacional tenho de vos dar o meu parecer. E a minha convicção é esta: a bandeira portuguesa é sem dúvida a mais representativa de todas as bandeiras. É a bandeira que de facto é o símbolo de todas as idiossincrasias do seu povo.

Por 3 razões. A primeira delas deve-se ao facto de a nossa bandeira ser nada-mais-nada-menos do que um gráfico horizontal, como os que vemos debaixo de cada vídeo do Youtube. Quem gosta clica “Gosto” e a barra verde aumenta e quem não gosta clica “Não Gosto”, ora pois claro. Agora o que se passa é o seguinte, existe apenas de 40% de verde (gosto) para 60% vermelho (não gosto).Desta forma, partindo do princípio de 10 milhões de habitantes, existem 6 milhões de portugueses descontentes com Portugal. Querem uma bandeira mais representativa do que esta? Uma maioria absoluta, de cidadãos portugueses, que sabem que o desempenho deste país tem vindo a ficar há quem das suas possibilidades.

O facto de haver esta maioria absoluta de “Não Gosto” não poderia ser mais representativo da população. Assim se explica o saudosismo, a tristeza e o fado inerente na personalidade portuguesa.

A bandeira nacional é o símbolo de um estado soberano democrata. E nada poderia representar tão bem a democracia como a nossa bandeira, porque se houvesse uma votação para a eleger, 60 % dos portugueses estariam sempre do contra.

6 Milhões de portugueses foram previamente pintados com rótulo de depressivos pessimistas. Foi a nossa condenação à partida. É como querer andar para a frente com 6 milhões de portugueses a puxarem-nos para traz. Por isso é que é tão difícil levar este país avante. É difícil que os trabalhadores tenham salários dignos, direito a folgas e strippers ao fim de semana! Nada se consegue!

É árduo o trabalho de quem quer que os portugueses tenham direitos básicos na sociedade. Como justiça que funcione, educação digna e 1 Ferrari para cada português. Em 5 portugueses há sempre 3 idiotas a dizer que não.

Os portugueses têm 60% da bandeira a vermelho e são pessimistas. Já percebo porque é que a bandeira do Brasil é verde.

(Nota: para que a frase acima tenha sentido, peço ao leitor que se esqueça das bandeiras da Arábia Saudita, Turquemenistão, Mauritânia, Nigéria, Paquistão, etc.)

(Nota2: para que o texto acima e em baixo tenha sentido peço ao leitor que esqueça de tudo.)

Não são apenas as tonalidades cromáticas que representam os portugueses. Há que reparar também na estranha e no entanto creio que propositada semelhança da nossa bandeira com um campo de futebol. Apesar do meio campo estar um pouco para lá de meio. Quiçá também já a reflectir as certas inclinações nos bastidores do mundo do futebol português. Nem sempre o campo está rigorosamente nivelado para todas as equipas.

Para além dos “Fados” presentes no “Não gosto” e dos “futebóis”, há uma coisa na bandeira que muita gente julga ser a esfera armilar. Mas isso meus amigos, não passa de um mito. Aquilo é na verdade uma coroa. Mais precisamente a coroa de Nossa senhora de Fátima. (Santos com coroas? Espectacular.)

E assim dá-se por completo a bandeira que verdadeiramente caracteriza o seu povo. Toda a genética portuguesa, Fado, Futebol e Fátima, graficamente representado num pedaço de pano fabricado na china. Isto é Portugal!

Tendo em conta a situação vigente, cabe-me a mim simples cidadão deste país pertencente à ralé, propor uma nova solução gráfica para a bandeira nacional. Que consiste em substituir a esfera armilar por uma bolota. E uma bolota porquê? Muito simples, por duas razões. Em primeiro lugar a bolota é o fruto da árvore em cima da qual Nossa Senhora decidiu aterrar. E se é pra representar a portugalidade que se faça a vontade aos cristãos. Assim quem gostar de estereotipar Portugal em Fados, Fátima e Futebóis pode olhar para a bandeira e sentir-se representado. Mas se caso contrário, e aqui vem a segunda razão, sentir que Portugal é muito mais do que isso, poderá fumar a “bolota”. E navegar numa linha temporal paralela à realidade portuguesa, transcendendo-se, porque afinal este país vai muito além do que a maioria das pessoas julga e necessita de ser descoberto nos detalhes sem nunca nos deixarmos ficar apenas pela casca.

Portugal está demasiado vermelho. É urgente que haja uma reformulação de imagem! Se fosse publicitário lançaria a campanha: um like para Portugal!

Vamos tornar a bandeira, maioritariamente verde e como tal maioritariamente optimista!

Anúncios

2 thoughts on “A verdadeira razão da bandeira de Portugal ser tal como é

  1. A razão pela qual existe mais encarnado que verde na bandeira nacional prende-se com o facto de, hasteada em barcos ou em mastros, o vento começar a desfiar a bandeira… sendo assim, o encarnado a mais na bandeira serve para “compensar” a acção do tempo na mesma.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s